Destaque Matérias

“EU SOU AQUAMAN!”

Aquaman

Eu sou o Aquaman!” Guarde bem essa frase, pois você vai vibrar com ela no cinema.

Aquaman, personagem de segundo escalão da DC (a trindade são Batman, Superman e Mulher-Maravilha), o rei de Atlântida, quase sempre era visto pelos fãs de HQs como uma figura quase que cômica em seu universo.

Quando teve sua primeira aparição no filme Liga da Justiça, sendo interpretado por Jason Momoa, já ficava claro que o personagem não seria mais motivo de chacota entre os fãs, ou seja, que não seria um qualquer no universo cinematografia da DC.

O resgate do herói passa pela escolha do seu protagonista, um ator gigante com cara de mau que consegue passar a confiança de um rei. Momoa interpreta o protagonista com uma alegria juvenil que, apesar de não ser digna de Oscar, consegue transmitir na tela a alegria de interpretá-la. Outra excelente escolha foi o ator para ser o vilão Orm (Patrick Wilson).  Wilson torna o vilão tão importante quanto o herói,  com uma atuação segura e convincente. Outro vilão clássico de Aquaman é o Arraia Negra, vivido no filme pelo ator Yahya Abdul-Mateen II, que se mostrou também importante para a trama.

A heroína do filme Mera (Amber Heard), ao contrario de alguns sites “especializados”, tem sim uma boa “química” com o protagonista. Outros dois personagens que tem uma boa participação no longa são: Dolph Lundgren como rei Nereus e Willem Dafoe como Nuidis Vulko, o vizir de Orm. Destaque também para a atriz Nicole Kidman como  a rainha Atlanna, mãe de Aquaman, trazendo cenas recheadas de emoção e bem dosadas.

O filme mostra uma Atlântida moderna e super desenvolvida (algo como Wakanda cidade do Pantera Negra), apresentando excelentes coreografias de lutas, principalmente entre o herói e seu antagonista.

O roteiro, apesar de clichê, cumpre seu papel, deixando-nos atentos do início até o final.

As cenas são belíssimas, de bom gosto e na medida. Podemos dizer ainda que o humor, as cenas de ação e drama são dosadas, sem exageros, fazendo o público compreender o propósito de cada uma.

Enfim, posso dizer que o diretor James Wan conseguiu resgatar um grande  herói da DC, levando para as telas do cinema um filme divertido e emocionante,  superando os erros de outros filmes, especialmente ao colocar cor na produção, saindo dos clássicos filmes escuros.

Fica aqui o desafio para você que, assim como eu, via em Aquaman um personagem fraco e quase cômico. Chama-o de fraco agora? “Eu sou o Aquaman!”.

Imagens

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 643 outros assinantes

Movie Aholic no Instagram

Quer aprender a programar?